Uma decisão do Tribunal Administrativo de Lisboa suspendeu a aplicação do Despacho 4785/2013

O Tribunal Administrativo de Lisboa aceitou uma providência cautelar interposta por um grupo de tenazes Antigas Alunas do Instituto de Odivelas...

Dia aberto no Colégio Militar dia 24 de Maio às 10h

O Colégio Militar é uma alternativa credível e de reconhecido sucesso na formação dos jovens. No sentido de dar a conhecer um pouco melhor o seu...

Visita da Duke of York's Royal Military School

A Duke of York’s Royal Military School é uma escola inglesa para crianças e adolescentes com idade compreendidas entre os 11 e 18 anos, em...

Discurso do Presidente da Direção, em 29 de Novembro na VII edição do Jantar de Antigos Alunos - Pestana Palace

Meus Caros Aqui estamos hoje pelo sétimo ano consecutivo para celebrar o nosso Colégio e a nossa também centenária Associação. Ocasião para um...
Conteúdo sindicado

ENCERRAMENTO POR MOTIVO DE FÉRIAS DA ASSOCIAÇÃO DOS ANTIGOS ALUNOS DO COLÉGIO MILITAR

Informamos que a AAACM estará encerrada, como habitualmente, por motivo de férias dos seus colaboradores entre o dia 4 e o dia 14 de Agosto

O Predidente da Direcção
António Reffóios
529/1963

19Jul

Uma decisão do Tribunal Administrativo de Lisboa suspendeu a aplicação do Despacho 4785/2013

O Tribunal Administrativo de Lisboa aceitou uma providência cautelar interposta por um grupo de tenazes Antigas Alunas do Instituto de Odivelas e, em consequência disso, o Despacho 4785/2013 do Ministro da Defesa está suspenso.
O Tribunal foi claro a informar que está proibida a execução do Despacho 4785/2013. O MDN tinha a obrigação de, após ser notificado, comunicar ao Exército esta obrigação legal. Contudo, realizaram-se no Colégio Militar reuniões destinadas objetivamente a executar o disposto no despacho, já posteriormente à notificação do MDN. Isto significa que para além de não ouvir a sociedade e ignorar os deputados eleitos, agora o MDN também parece desrespeitar ordens judiciais.
Independentemente do resultado final desta providência cautelar, que a AAACM espera que tenha pleno sucesso e eficácia, a luta pelo futuro do Colégio Militar e do Instituto de Odivelas vai continuar. Em particular, é um dever de cidadania opor-mo-nos à destruição insana que o MDN está a executar no CM. Com a maior tristeza e indignação temos de reconhecer que:

- O Colégio Militar divergiu da qualidade pedagógica em todos os ciclos de ensino básico e no ensino secundário.
- O ambiente escolar no Colégio Militar é forte e negativamente condicionado pela pressão obsessiva do MDN em destruir o IO e integrar as alunas no CM.
- A forma como as alunas do IO estão a ser tratadas é indigna e toca a perversidade: horários impossíveis, coação psicológica, criação de um ambiente depressivo e decadente, tudo serve para expulsar as alunas da sua escola.

Assim, como temos vindo a alertar repetidamente, está em curso um processo de descaracterização e destruição aceleradas. Está em curso a morte do Colégio Militar sob a capa de uma pseudo-reforma.
O MDN usa de forma autoritária o seu poder. Mas graças às confiantes, tenazes e corajosas Meninas de Odivelas, há agora uma decisão de um tribunal que contraria este abuso. É sem dúvida uma boa notícia!

Nota: Ao que sabemos, foram interpostas duas Providências Cautelares acerca deste assunto, não tendo sido aceite a primeira, contrariamente àquela a que nos referimos nesta comunicação. Uma vez mais o jornalista Manuel Carlos Freire do DN (artigo de 17 de Julho) apenas se referiu à que não foi aceite, provando não só a sua fraca qualidade de trabalho de investigação, como também a sua habitual falta de isenção no tratamento dos factos comprovados.

SARDINHADA DA AAACM - DIA 19 DE JULHO NA FEITORIA

A edição 2014 da “Sardinhada” é já no dia 19 de Julho na Feitoria do Colégio Militar às 13.00h, com o menu habitual e o preço por pessoa de € 17,50 para adultos e € 9 para menores de 12 anos.

Como receamos que o número de inscrições possa vir a exceder o número de lugares disponíveis mantém-se o regime de inscrição prévia, que deverá ser-nos comunicada o mais brevemente possível.

Desejamos que esta iniciativa constitua mais uma oportunidade para um excelente convívio entre os Antigos Alunos e respectivas famílias.

Para tal, aguardamos a tua inscrição através do endereço e-mail leonel@aaacm.pt ou dos telefones
21 712 23 06 / 08.

Contamos com a tua presença,

O Presidente da Direcção

António Saraiva de Reffóios
(529/63)

02Jul

Intenção de encerramento do Instituto de Odivelas: PSD e CDS-PP impuseram a disciplina de voto aos deputados que recomendavam prudência

Em 12 de Junho de 2014 a proposta de resolução do PCP que recomendava ao governo suspender a extinção do Instituto de Odivelas foi rejeitada com os votos contra do Bloco de Esquerda, do PSD e do CDS-PP. Nesta votação, o PSD e o CDS-PP impuseram disciplina de voto. Cinco deputados do CDS-PP abstiveram-se, dez deputados do PSD e todo o Grupo Parlamentar do CDS-PP apresentaram declarações de voto.
Há um ano, em 28 de Junho de 2013, 35 personalidades subscreveram uma carta da AAACM ao Presidente da República que, entre outros, continha um pedido essencialmente igual ao da proposta de resolução agora votada no Parlamento: suspensão do despacho 4785/2013 de 8 de Abril e uma nova análise da reforma dos Estabelecimentos Militares de Ensino. O pedido, subscrito por personalidades em que se incluíram António Ramalho Eanes, António Bagão Félix, Eduardo Marçal Grilo, Rui Machete, Adriano Moreira ou Manuel Braga da Cruz, foi ignorado pelo Governo
Existe uma corrente de opinião, transversal às filiações partidárias, que está preocupada em manter e promover instituições de ensino úteis e com provas dadas, como o Colégio Militar ou o Instituto de Odivelas, que acredita nos valores que são transmitidos por estas escolas e na importância da sua ligação às Forças Armadas. Esta corrente de opinião discorda do modo pouco refletido e pouco transparente como foi produzido e aplicado o despacho 4785/2013.
A disciplina de voto imposta na votação desta simples recomendação ao Governo é um modo de impedir a concretização, pelo voto, da opinião de deputados eleitos pelos Portugueses. Esta situação é ainda mais deplorável quando é conhecida a posição pública de alguns desses deputados, entre os quais dois membros da Comissão Parlamentar de Defesa. Parece não bastar ao Ministro da Defesa impor os seus erros, pretende também anular as vozes discordantes, seja através da disciplina de voto, seja através da pressão contínua sobre pessoas e instituições.
Passados que são três anos, continua a ser surpreendente a dimensão e a importância conferida pelo ministro Aguiar Branco ao tema dos Estabelecimentos Militares de Ensino no contexto de problemas de muito maior dimensão. Surpreendente é também, a forma como o ministro decidiu gastar alguns milhões de euros em instalações desnecessárias a construir no Colégio Militar.
A AAACM tem a missão estatutária de defender o Colégio Militar, mas sempre afirmou e continua a afirmar a importância de ser continuado o percurso centenário do Instituto de Odivelas, que tão relevantes serviços tem prestado a Portugal.

Direção da AAACM

21Maio

Dia aberto no Colégio Militar dia 24 de Maio às 10h

O Colégio Militar é uma alternativa credível e de reconhecido sucesso na formação dos jovens. No sentido de dar a conhecer um pouco melhor o seu Projeto Educativo, em 24 de maio, a partir das 10H00, o Colégio abre portas às famílias que nos queiram visitar.
Para inscrição solicita-se o contacto com o Gabinete de Admissões através dos n.º s 21 710 40 35 ou 21 710 40 44.
Inscreva-se já!